terça-feira, 20 de outubro de 2009

A LEI DO SENHOR - Salmo 19.7


" A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma ". É, também, o caminho eterno pelo qual todas as coisas são conduzidas, dentro dos propósitos de Deus. A lei do Senhor nada mais é do que segurança, estabilidade e sustentação a tudo quanto deverá ser preservado, para a glória de Deus. O que é assegurado pela lei é permanente e de valor eterno. Mas aquilo que está fora dessa condição se definha, envelhece, esboroa-se, é passageiro, relativo, torna-se odres velho, não permanece para sempre.Onde estivermos, precisamos estar em consonância com a lei do Senhor, os decretos eternos de Deus. Quem pode estar na lei do Senhor tem a seu favor toda segurança. Não será abalado ainda que tudo se desmorone ao seu lado. A grande questão, ou o grande propósito de Deus, é colocar sua lei no coração do homem. Isso não poderá ser pela imposição, pela força (Zc.4.6), senão pelo Espírito do Senhor - Ez. 36.25-27. Quando lemos o salmo 19.7-14, ou o 119, vemos como o homem de Deus tem o coração anelante pela lei do Senhor.Temos, muitas vezes, a tendência de imaginar que a graça é melhor que a lei, porque somos pecadores. Mas esse não é o melhor entendimento. A graça nos é agradável, porque é remédio para o pecador, enfermo, incapaz de, por si mesmo, viver a realidade descrita na lei. Por conseguinte, a graça toma para si a incumbência de nos redimir e, aos poucos, ir escrevendo a lei do Senhor, nas tabuas do nosso coração - Is.31.33. Portanto, o planejamento divino é reconduzir tudo, desse mundo caído, ao aconchego e segurança da lei do Senhor.Não confunda mandamento (recomendação do Senhor), ou estatuto (regulamento), com a lei do Senhor. Os mandamentos, estatutos, preceitos, são caminhos de ensino, usados por Deus, para nos conduzir às verdades eternas, às realidades espirituais, aos princípios eternos que norteiam tudo neste universo, de modo que estejamos em harmonia com o que por Deus foi estabelecido. Muitas vezes, o mandamento é uma expressão verbal de um princípio eterno; a expressão verbal é modificável (Rm.13.9-10) e o princípio eterno é permanente - é a lei do Senhor. É possivel viver mandamentos, pendendo para o legalismo mórbido, Mt.12.2-8, ou religiosidade formalística, "coando mosquito e engulindo camelo", Mt.23.23-24, sem chegar-se aos valores reais de uma vida de intimidade com Deus. Note bem: o mandamento poderá ser mudado, alterado, suprimido; a lei, jamais - Mt.5.17-20, Is.40.8, Mt.24.35. O mandamento é normativo, expresso em forma de ordem, vazado em palavras, recebe uma formulação. A lei do Senhor, não; esta é inalterável, eterna, inflexível e está gravada em todo universo. Quando entramos em harmonia com o Deus do universo e o universo de Deus, entendemos a lei do Senhor e há descanso para nossa alma. A alma é restaurada, porque a lei do Senhor faz cessar os nossos conflitos. Que grande maravilha! "A lei do Senhor restaura a alma", porque é a lei do Espírito da vida que estava em Cristo Jesus e, em nós, nos livra do pecado e da morte - Rm.8.1-2. A lei é o amor, a lei é a justiça, a lei é a paz e tudo quanto há de verdadeiro e bom. Louvado seja o Senhor por isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário