sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

QUEM DEVE COMEMORAR O NATAL?


Somente aquele que foi redimido por Cristo Jesus e a ele se uniu, que traz em si o processo de regeneração ativado em seu interior, e que foi selado pelo Espírito Santo é que tem razões para comemorar o Natal de Cristo. Quem não tem esse dom, essa graça em sua vida, não deveria comemorar; isto porquê, na verdade, não há o que ser comemorado. Aliás, não é esse almoço (ou ceia) de Natal que constitui o memorial do nosso relacionamento com o Filho de Deus; mas a Ceia que ele mesmo instituiu, ordenando-a como sinal de nossa participação no seu corpo místico, presente no mundo continuamente. Portanto, se estamos nele (como servos, amigos) e ele está em nós (como Salvador, Mestre e Senhor), temos mesmo é que comemorar de todas as maneiras, permanentemente, até que, na sua volta, o seu Reino em definitivo seja estabelecido. Aleluia!!!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

ELE SÓ VIU O NATAL.....

"ELE SÓ VIU O NATAL"
19/12/2010
Pr Marcelo Gomes
Quando completaram-se os dias determinados para a purificação, José e Maria levaram o menino Jesus ao templo de Jerusalém para consagrá-lo ao Senhor. Ali estava um homem chamado Simeão, a quem o Espírito Santo revelara que não morreria sem antes ver o Messias. Quando viu o recém-nascido, tomou-o nos braços e louvou a Deus, dizendo: “Ó Soberano, como prometeste, agora podes despedir em paz o teu servo. Pois os meus olhos já viram a tua salvação, que preparaste à vista de todos os povos: luz para revelação aos gentios e para a glória de Israel, teu povo” (Lucas 2:21-32).
Simeão não viu nada além daquele bebê. Não viu o menino, aos 12 anos, discutindo com os doutores da lei; nem o batismo, por João, no Jordão, onde o Espírito Santo desceu sobre o homem Jesus em forma corpórea de pomba; nem as curas, os exorcismos e a mensagens maravilhosas que pregou; nem as multiplicações de pães; nem o andar sobre as águas; nem a prisão, ou a cruz, ou a ressurreição. Ele só viu, pelo menos até aquele momento (e certamente não viu muito mais para além daquele momento), o natal. E foi com os olhos fitos no natal que disse o que o “ouvimos” dizer, ainda hoje.
A atitude de Simeão diante do recém-nascido Jesus nos ensina as lições que o natal nos revela dois milênios depois:
1. Natal significa que o passado faz sentido e que Deus cumpre suas promessas. Nenhuma delas foi esquecida ou ignorada. Nada aconteceu ou acontece por acaso. O nascimento de Jesus evidenciou-nos um Deus que está no controle da história e que realiza seus propósitos na história. Apesar das circunstâncias adversas. Apesar das atrocidades que os homens são capazes de cometer. Natal significa que não há luta que não cesse, nem problema que sempre dure. A vida tem sentido. Não somos um acidente ou um engano. “Podes despedir teu servo, como prometeste”.
2. Natal significa que o presente é oportunidade e que Deus é poderoso para salvar. Somos amados e podemos nos entregar totalmente em suas mãos. Podemos descansar em sua graça e cuidado. Natal significa que Deus amou o mundo de tal maneira que enviou seu filho. Não há outra razão para que se disponha à encarnação e à habitação neste mundo. Apenas eu e você. Somos muito amados. “Meus olhos já viram a tua salvação”.
3. Natal significa que o futuro está garantido e que Deus nos aguarda em seu Reino. O horizonte está descortinado diante dos que crêem. A esperança está de volta. Não precisamos temer a morte, pois o nascimento de Jesus é a inauguração do caminho pelo qual a vida triunfa sobre a morte. “Podes despedir, em paz, o teu servo”.
Ele só viu o natal. E conseguiu enxergar tudo...

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

PENA DE MORTE NO BRASIL:

"A pena de morte existe no Brasil; mas,... só para o cidadão honesto. Ela é aplicada pelos bandidos"  - José Ribamar Carvalho - São Luis  - MA. (Veja - 24.11,2010)

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

COMENTÁRIOS VÁRIOS SOBRE A FAMÍLIA


"Pai periférico" é aquele quase sempre ausente, não atuante como autoridade no lar que, por isso mesmo, não incorpora a autoridade necessária à sua família. Normalmente surge, nessa família, a "mãe gigante", na tentativa de suprir essa necessidade. Essa mãe estabelece a comunicação direta com os filhos e, consequentemente, as portas dessa casa estarão abertas para as drogas e a homossexualidade".
"Somos apressados em criticar nosso cônjuge e filhos e demasiadamente vagarosos, e até omissos, nos elogios para com eles".
"A mulher tem uma grande força agregadora dentro da família, muito mais forte que o homem".
"O mau procedimento do homem poderá ser barrado no seio da família, pelo bom desempenho da mulher, quando esta protege bem a sua casa".
"A mulher tem mais dificuldade de se libertar das drogas - uma vez dominada pelo vício - do que o homem. Isto porquê a mulher rege-se mais por sentimentos e, nesse caso, as consequências das drogas são mais devastadores".

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

OBESIDADE MENTAL

         
         Faz pouco tempo que a humanidade tomou consciência dos perigos do excesso de gordura física, por uma alimentação desregrada. Está na hora de observar que nossos abusos, no campo da informação e do conhecimento, estão criando problemas tão ou mais sérios que esses.
          A nossa sociedade está mais entupida de preconceitos que proteínas, mais intoxicada de lugares comuns que de hidrato de carbono. As pessoas viciaram-se em esteriótipos, juízos apressados, pensamentos tacanhos, condenações precipitadas.
         Todos tem opiniões sobre tudo, mas não conhecem nada. Os cozinheiros desse "fast food" intelectual são os jornalistas, comentaristas, editores de informação, filósofos, romancistas e diretores de cinema. Os telejornais e as telenovelas são os "amburgeres" do espírito; já as revistas e as novelas são os "donuts" da imaginação.
          Qualquer pai, responsável, sabe que seus filhos irão adoecer, se comerem apenas doces e chocolate. Não se entende, então, como é que tantos educadores aceitam que a dieta mental das crianças hoje seja composta por desenhos animados, videogames e telenovelas. Com uma "alimentação intelectual" dessa, tão carregada de adrenalina (sexo, violência e fortes emoções), é normal que esses jovens nunca consigam alcançar uma vida saudável e equilibrada.
          O jornalismo alimenta-se hoje, quase exclusivamente de cadáveres de reputações, de detritos de escândalos, de restos mortais das realizações humanas. Há muito tempo a imprensa deixou de imformar, para apenas seduzir, agredir e manipular. Somente a parte morta e apodrecida da realidade é que chega aos jornais.
          Com isso, o conhecimento das pessoas aumentou, mas é feito de banalidades. Todos sabem que Kennedy foi assassinado, mas não sabem quem foi Kennedy. Todos dizem: a Capela Sistina tem um teto famoso, mas poucos sabem porquê. Todos sabem que Saddam Hussein era homem mau e que Nelson Mandela é bom, mas nem sabem exatamente porquê.
          Não admira que, no meio da prosperidade e da abundância, as realizações do espírito humano estejam em decadência. A família é contestada, a tradição esquecida, e a religião abandonada. A cultura banalizou-se, o folclore entrou em queda, a arte tornou-se uma futilidade. Floresceu a pornografia, a sensualidade descompromissada, o sibaritismo, a imitação, o cabotinismo egoísta.
          Não se trata de um retorno à "Idade das Trevas" ou, o fim da civilização, como tantos apregoam. É só uma questão de obesidade. O homem moderno está adiposo no raciocínio, gostos e sentimentos. Portanto, o mundo precisa de reformas e verdadeiro desenvolvimento. Mas, para isso, precisamos sobretudo, antes de mais nada, de uma boa dieta mental.
          LIVRO: "Mental Obesity"
          AUTOR:  Andrew Oitke
          COMPILAÇÃO: Prof. Elias Moreira
       

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

VISÃO DOS REDIMIDOS BEATIFICADOS

"Depois destas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos;  e clamavam em grande voz, dizendo:
          Ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salvação.
Todos os anjos estavam de pé rodeando o trono, os anciãos e os quatro seres viventes, e ante o trono se prostraram sobre os rostos, e adoraram a Deus, dizendo:
          Amém. O louvor, e a glória, e a sabedoria, e as ações de graça, e a honra, e o poder, e a força sejam ao nosso Deus, pelos séculos dos séculos. Amém.
Um dos anciãos tomou a palavra, dizendo: Estes, que se vestem de vestiduras brancas, quem são e donde vieram? Respondi-lhe: meu Senhor, tu o sabes. Ele, então, me disse: são estes os que vêm da grande tribulação, lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro, razão por que se acham diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo. Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem ardor algum, pois o Cordeiro que se encontro no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima." - Ap.7.9-17.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

O MAIOR DESEQUILÍBRIO HUMANO


Deus é puramente espírito (Jo.4.24) e um espírito não tem carne nem ossos (Lc.24.39). Isto é, o espírito não tem dimensões, não se localiza, não tem aparência, não ocupa lugar no espaço, pode penetrar o mundo material sem que este exerça influência sobre ele e é totalmente invisível. Aí está a grande maravilha de Deus que, sendo espírito, não se localiza e está integralmente presente em todos os lugares (Jr.23.23-24) ao mesmo tempo, e nele "não pode existir mudança ou sombra de variação" - Tg.1.17. Já os seres criados são prisioneiros da matéria e, com isso, têm dimensões, aparência, se localizam e ocupam lugar no espaço e um único lugar. Entre esses seres está o homem; este (o homem) compõe-se de duas partes, sendo assim uma fronteira entre Deus e o animal. No seu porte físico lembra o animal: nasce, cresce, alimenta-se, reproduz, definha-se e morre; no seu espírito está a "imagem e semelhança" do Criador - Gn.1.26-27. É justamente por essa razão, que Paulo diz ser uma desbragada loucura, a utilização de imagens para a adoração - Rm.1.22-23,25. Porque, quando isso fazemos (quer seja a imagem de Paulo, de Maria, de José, de Antônio, de Cristo) temos apenas a representação da parte física do ser humano e, nesse setor, o homem é semelhante aos animais. Vejam como Paulo se expressa: " Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos e mudaram a GLÓRIA DE DEUS INCORRUPTÍVEL em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis. A imagem não é capaz de manifestar o espírito do homem; nem de Pedro, nem de João, nem de Maria (por mais que tenham sido homens de Deus). A imagem apenas representa a parte física do homem e, nesse particular, o homem é semelhante aos animais, as aves, aos quadrúpedes e répteis. Por essa razão, o mandamento fecha todas as possibilidades de se ter, no mundo criado (entre as criaturas) um ser que, por sua imagem, seja capaz de representar condignamente a magnificência de Deus. "Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás (inclinando-te - Lv.26.1), nem lhes darás culto; porque eu sou o Senhor, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos". - Ex.20.4-6.

"DEUS É ESPÍRITO; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade". Jo.4.24.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

ENGANADOS COM A ENGANAÇÃO

         
          O Brasil tem como padroeira a imagem da "senhora aparecida". O primeiro engano é que não apareceu coisa alguma, mas tem sido utilizada como se isso fosse verdade. Para se certificar disso, leia o livro "Senhora Aparecida - Outro Conto-do-Vigário", do ex-padre Aníbal Pereira.
          Uma imagem (de madeira, louça, gesso, pedra, ouro, prata - obra de escultura) nunca aparecerá, por milagre de Deus, em tempo e lugar nenhum. Pois, se Deus condena, severamente, conforme está explícita e definidamente no mandamento (Ex.20.4-5, Dt.5.8-9), a utilização de simulacros dessa natureza, para adoração, veneração - como objeto de culto - de maneira alguma ele realizaria um milagre, para que isso viesse a acontecer. Estaria Deus contra si mesmo, contrariando a sua própria palavra?
          Para Deus a inutilidade da imagem está primeiramente no fato de que ela tem boca...mas, NÃO FALA - Sl. 115.4-8 (ou 113b), isto é, não diz coisa alguma. Então, diz-nos o texto, tornam-se IGNORANTES aqueles que as fazem e todos os que neles confiam - Sl. 115.8. Deus sabe que esse caminho é diabólico e de enganação, uma vez que o homem fica sem o referencial do padrão de caráter que somente nEle poderá ser encontrado - Gn.17.1b, Lv.19.2.
          Para o homem esse caminho é sempre cômodo, conveniente, justamente porque a imagem não fala, não questiona, não exige mudanças na conduta do ser humano, não requer santidade dos seus seguidores. Difícil é ter intimidade com aquele que é luz, em quem não há treva nenhuma. E, "se dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, MENTIMOS e não praticamos a verdade" - IJo.1.5-6. Por essa razão, é lógico que o homem quer sempre inserir imagens na sua religiosidade, justamente porque não falam, nada exigem, dá para ser religioso e continuar sendo como é, sem a necessidade de mudanças, agindo como bem lhe apraz.
          Para que vejamos o resultado disso, na sociedade como um todo, é bastante olharmos para as nações e verificaremos: onde a religiosidade é pagã, ou o cristianismo foi paganizado (o que vemos claramente no Brasil), o caráter predominante é sempre questionável e há pouca evolução cultural e tecnológica. Os países de tradição "protestante", como o Canadá, Estados Unidos, Holanda, Suécia, Suíça, que tiveram no passado a Bíblia como base do ensino, a confrontação direta com os parâmetros do caráter de Deus, estão em condições de vanguarda no cenário mundial (1). Veja isso no livro "Brasil e Estados Unidos: o que fez a diferença", do jornalista Ricardo Lessa.
          As instituições religiosas que optam pela paganização do cristianismo, ainda que falem do Deus Criador, de Cristo Salvador, precisam de enganos - histórias forjadas - para manter em pé suas estruturas, com a exploração do sentimentalismo dos seus incautos seguidores. Há alguns anos, estávamos saíndo de viagem de uma cidade, no Estado de Minas, no momento em que a imagem aparecida estava chegando ali, de avião, com grande e retumbante aclamação. O autofalante dizia: "Venham para acolhermos a nossa mãe, essa é a imagem original". Nesse momento, ligamos o rádio do carro e, coincidentemente, sintonizamos a emissora de Aparecida, justamente quando o Pe.Vitor entrevistava romeiros e lhes fazia a pergunta: "Quais são as emoções de ver a imagem ORIGINAL da senhora aparecida? Então, ficamos perplexos; que enganação ardilosa era aquela??? Posteriormente, ficamos sabendo da existência de três IMAGENS ORIGINAIS;  uma que ficava em Aparecida e duas que percorriam o país.
          Por que esses embustes são possíveis? Por que eles são aceitos e têm repercussão? Porque eles não tem mensagem, não dizem nada, não interferem nas pretenções e vaidades carnais do homem. E, quando não se tem entendimento da glória do DEUS INVISÍVEL, qualquer outro deus serve; principalmente, quando introjetamos a idéia de que ele (esse deus) nos protege, que age em nosso benefício. É o deus da conveniência humana, só que, tais pessoas deveriam ser sinceras, dizendo que o cristianismo que abraçam não é o de Cristo. "Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos e trocaram a glória do Deus invisível (imortal) por imagens feitas segundo a semelhança do homem mortal, bem como de pássaros, quadrópedes e répteis.... mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente, amém."- Rm. 1.22,23,25. Ao grande Deus, criador do déu e da terra, sejam dadas honra, glória e louvor para todo o sempre!!!
          
      

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

CONSPIRAÇÃO INÚTIL



"Os reis da terra se levantam, e os príncipes conspiram contra o Senhor e contra o seu Ungido, dizendo: rompamos os seus laços e sacudamos de nós as suas algemas. Ri-se aquele que habita no céus; o Senhor zomba deles". - Sl.2.2-3

"Não removas os marcos antigos que puseram teus pais". - Pv.22.28

"Ponde-vos à margem no caminho e vede, perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho; andai por ele e achareis descanso para a vossa alma; mas eles dizem: Não andaremos". - Jr.6.16.

NOTA:"Os princípios exarados pela PALAVRA DE DEUS não são antigos nem modernos; são eternos".

NOSSO ENDOSSO AO POSICIONAMENTO DA IPB


Estamos manifestando nosso endosso ao posicionamento da Igreja Presbiteriana do Brasil(IPB) que, através de documento de sua Universidade Mackenzie, se posicionou contra a lei da mordaça, injusta contra a atuação da Igreja de Jesus, desfavorável à liberdade de expressão, à pregação do evangelho - lei PL l22 que está tramitando no Congresso. Não defendemos a IPB como instituição, mas, reafirmando o posicionamento do povo de Deus, calcado na VERDADE ABSOLUTA, SOBERANA E ETERNA, que não muda nem pode ser manipulada por quem quer que seja. Como cidadãos brasileiros, estamos prontos a submeter-nos às leis deste país, desde que estas não firam os princípios eternos do Reino de Deus. Abraçamos e amamos a VERDADE libertadora do evangelho, insubistituível, e não propugnamos a favor de interesses particulares ou de grupos corporativos. Portanto, não somos a favor de ninguém nem contra ninguém, esse não é nosso posicionamento; somos servos de Deus e trabalhamos pela implantação do seu Reino.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

NOTICIA DO PORTAL UOL - 24/11/2010

Protesto contra a homofobia na frente do Mackenzie
24/11/2010 - 21h07


A concentração em frente à Universidade Presbiteriana Mackenzie para um protesto contra o homofobia começou por volta das 16h. Às 17h30, a CET bloqueou parte da rua Itambé e desviou o trânsito para a rua Maranhão, pois as calçadas não comportavam o número de manifestantes. Ao som de Cazuza, cerca de 500 pessoas iniciaram um "apitaço". Membros de organizações LGBT e alunos do Mackenzie --contrários ao posicionamento da instituição--, pediam a demissão do chanceler da universidade, Augustus Nicodemus. Foi ele quem redigiu o "Manifesto Presbiteriano sobre a Lei da Homofobia", texto que é contra a aprovação do PL 122, que criminaliza a homofobia no Brasil.
O "Manifesto Presbiteriano sobre a Lei da Homofobia" foi colocado no site da universidade na semana passada, antes das agressões contra de caráter homofóbico ocorridas em São Paulo e outro no Rio-- e já foi tirado do ar. Nele, o chanceler, cargo máximo da universidade, recomenda à comunidade acadêmica a se orientar pelo que pensa a Igreja Presbiteriana do Brasil, associada vitalícia da instituição de ensino.
"Os cristãos se guiam pelos referenciais morais da Bíblia e não pelas mudanças de valores que ocorrem em todas as culturas", afirma Lopes, antes de dar parênteses ao que diz a igreja.
Na ocasião, a assessoria do Mackenzie afirmou que a universidade "se posiciona contra qualquer tipo de violência e descriminação" e "contra qualquer tentativa de se tolher a liberdade de consciência e de expressão garantidas pela Constituição".
No manifesto da igreja, endossado pelo chanceler, a instituição diz que é contra à aprovação da lei "por entender que ensinar e pregar contra a prática do homossexualismo não é homofobia".
Em nota divulgada hoje, a assessoria disse que o Mackenzie respeita o direito de expressão de todos os cidadãos e reconhece o direito de manifestação pacífica.
"Hoje consolidada como uma das instituições de ensino mais conceituadas do país, a Universidade Presbiteriana Mackenzie, que possui cerca de 40 mil alunos e 3 mil funcionários, sempre prezou pelo respeito à diversidade e pelo direito de liberdade de consciência e de expressão religiosa", diz a nota.
(Extraido do Folha.com)

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

AGUARDE

MENSAGEM QUE ESTAMOS PREPARANDO PARA ESTE BLOG, COM O TÍTULO: "ENGANADOS COM A ENGANAÇÃO".
Não deixe de ler, no novo blog, "reestruturacaobrasil.blogspot.com", nossa colocação sobre "A Verdadeira Reforma Agrária". Obrigado por seu apoio!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

PREDESTINAÇÃO


"Não devemos desejar conhecer sobre a predestinação, além daquilo que nos foi revelado. Tentar ir além é como tentar enxergar no escuro. Não devemos nos envergonhar dessa ignorância. Revelar essa ignorância é revelar uma sábia ignorância". "Do LADO DE FORA do céu está escrito: Aquele que tem sede venha; e quem quiser, receba de graça da água da vida - Ap.22.17. Do LADO DE DENTRO do céu:  Nos escolheu nele, antes da fundação do mundo - Ef.1.4.

DEUS NOS DÁ AQUILO QUE NOS PEDE


Porventura não há mérito no homem? Sim, há. O Senhor, no tempo próprio, nos recompensará em tudo aquilo  que fizermos para sua glória. Tudo que for fruto do amor derramado em nosso coração, resultante da ação do Espírito Santo, será recompensado pelo justo juiz que retribuirá a cada um segundo suas obras. Na verdade, quando Deus recompensa esses méritos, estará premiando o que vem dele mesmo, porém, na nossa vida.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

TEOLOGIA E CIÊNCIA


Não existe incompatibilidade entre a ciência e a teologia, desde que a ciência seja verdadeira ciência e a teologia verdadeira teologia.
Com relação a ser o mundo criado por Deus, ou fruto de uma evolução, não temos dúvida; as evidências são mais que convincentes de que Deus (Pai,Filho,Espírito Santo)foi o idealizador, mentor e promotor de toda criação. Admitir o contrário é trilhar um caminho longo demais para o diminuto ser humano.
Agora, o começo, a duração, o processo da operacionalidade (modus operandi) da obra criadora ficam a cargo da ciência. No dia em que ela (a ciência) puder resolver essas questões, a teologia irá agradecer-lhe a contribuição.
A Bíblia simplesmente diz (Gn.1.1-2):
1. No princípio, (o tempo)
2. Criou Deus os céus (o espaço sideral)
3. E a terra... (a matéria como um todo)
Subentende-se que, as condições básicas foram estabelecidas anteriormente, sem o que, não haveria cenário material e a ambiência circunstancial para a individualização dos seres que, posterormente, seriam criados. Quanto tempo essa matéria esteve nesse amálgama, sem luz, disforme e vazia? - Gn.1.2. Não sabemos. Apenas que o Espírito de Deus supervisionava tudo! Não nos esqueçamos que ele é eterno e, para ele não há sucessão de tempo (crono). Alguns teólogos querem admitir - baseados em detalhes das Escrituras - que antes desse gênese adâmico, um mundo anterior poderá ter acontecido e que este, que hoje temos, é sucedâneo do anterior. Mas, logicamente, são apenas cogitações e nós não estamos proibidos disso.
É bom que entendamos também ser inegável a existência de um processo evolutivo que, em dado momento, poderá ser também involutivo, principalmente, por causa do pecado.
Aí está a grande maravilha: é que Deus não estava criando algo inerte, inativo, mas um mundo dinâmico, criativo, como sombra de si mesmo. Fabricar um relógio que não funciona não é tão difícil; todavia, um que funciona, se possível automaticamente, há de mister uma certa genialidade.
Concordamos em que a história do Edem é extremamente simples, para explicar o monumental surgimento do homem sobre a terra. Logicamente, não diz tudo quanto gostaríamos de saber. E não estranhemos se, logo mais, forem descobertos outros planetas, semelhantes ao nosso, repletos de seres vivos, aonde o mesmo Senhor nosso manifesta de igual modo sua glória. Tais descobertas, pesquisas, invertigações, pertencem à ciência. Contudo, creio que a última palavra do conhecimento humano terá de ser, necessariamente, a primeira da Bíblia - criou Deus os céus e a terra!

NOTA: Hoje, 05 de novembro, é o DIA DA CULTURA E DA CIÊNCIA.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

O PAI SE ALEGRA SOBREMANEIRA NO FILHO


"Eis aqui o meu servo, que escolhi, o meu amado, em quem a minha alma se compraz. Farei repousar sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará juízo aos povos. Não contenderá, nem gritará, nem alguém ouvirá nas praças sua voz. Não esmagará a cana quebrada, nem apagará o pavio que fumega, até que faça vencedor o juízo. E, no seu nome, esperarão os povos." - Mt.12.18-21.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

POEMA - TERRA EM TRANSE


Terra em Transe

Se era pra matar,
Por que deram os nomes aos bichos?
Se era pra cortar,
Por que tanto estudaram as plantas?
Se era pra revirar a terra
E cimentar o campo
Empacotar o vento
Plastificar o encanto
Se era pra morrer
De cansaço na beira do asfalto,
Se era pra esquecer
A beleza da água no salto,
Se era pra derramar o vinho
E semear o pranto
Emudecer o pinho
E sufocar o canto
Se era pra perder
Por que foram buscar a esperança?
Se era pra correr
Por que foi que chamaram pra dança?
Se era pra desejar o muito
E usufruir o pouco,
Acalentar o intento
E acabar tão inerte e louco
Se era pra não ser
E evitar a questão do poeta
Se era só pra ter
E virar um produto em oferta
Se era pra ver a Terra em transe
A calçada cobrindo o mangue
A mata vazando sangue
E a cobiça fazendo a festa
Não é para responder
É apenas para se repensar
E quem sabe recomeçar
Replantar / Refazer
(“Minha voz é apenas uma pequenina e desconcertada interferência neste grande debate sobre a realidade e a vida”. Esta fala, do professor, poeta e músico Gladir Cabral, inspira a poesia correndo em suas veias. Tendo a docência como ofício – já que Gladir é professor universitário na área de Literatura, o poeta-músico diz que tem a fé como seu “norte”, sua fonte de “inspiração” - pastor da IP de Criciuma-SC - http://www.gladircabral.com.br/)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

O CONTROVERTIDO PROBLEMA DO ABORTO

         
          Dizer que o aborto é problema de saúde pública está certo, desde que esta (a saúde pública) seja considerada com a abrangência que deverá ter, isto é, saúde social, educacional, estrutural da família e da sociedade. Agora dizer que não compete ao governo entrar no mérito religioso da questão é, no mínimo, uma atitude similar a de Pilatos, conforme vemos em Mt.27.24.
          O aborto é um problema social extremamente sério, grave, abrangente, que não poderá ser enfrentado de maneira simplória, como tem sido tratado no Brasil, com a distribuição aleatória de preservativos. Esse problema deverá ser encarado de frente, por todos os seguimentos da sociedade, mostrando a todos os cidadãos as implicações funestas desse caminho. Somente dessa forma atingiremos resultados satisfatórios.
          Numa nação bem organizada e responsável, os compromissos do estado com sua estrutura e da Igreja com sua missão se fundem, se complementam, se locupletam, em harmonia, uma vez que os objetivos são quase os mesmos, ou seja, a saúde física, psicológica, relacional, espiritual do ser humano. Há países, como a Holanda, onde os pastores são pagos pelo estado, no reconhecimento de que há muito em comum nos objetivos do governo e da Igreja.
         Será sempre uma grande insensatez do governo, deixar de apreciar as ponderações da OAB, por exemplo, em teses jurídicas, assim como desconsiderar os prognósticos e conselhos sábios daqueles que têm intimidade com o Rei dos Reis - IRs.22.7-8.
          O Brasil tem um dos maiores índices de aborto do mundo, sendo que eles ocorrem, principalmente, entre os jovens e adolescentes. Muitas vezes em condições precárias e desassistida, o mais das vezes deixando sequelas permanentes, exceto o trauma da própria experiência horripilante. Nosso povo tem sido conduzido de maneira a não sentir o peso das responsabilidades mais relevantes! Infelizmente!!!
          Se de fato houver total respeito ao ser humano, desde o momento em que é gerado, no ventre materno, e compreensão do sagrado caminho da procriação, compromisso sério com aqueles que são gerados entre nós, grandes serão os benefícios para a nação toda e a bênção de Deus haverá de se derramar proficuamente sobre todos.
          Não é somente uma questão religiosa. Qualquer sociedade humana que negligencia os ditames da natureza, cujas leis são inexoráveis, estará fadada a sua autodestruição. Deus perdoa-nos o pecado, a culpa; mas, a natureza não. E, por esse motivo, arcamos com os sofrimentos das consequências. Por essa mesma razão, também se diz: "Não quebramos as leis da natureza; somos, isso sim, quebrados por elas". Pense nisso...!!!

sábado, 16 de outubro de 2010

CONVICÇÃO E PROCLAMAÇÃO

Nossa fé não precisa de proteção; precisa de proclamação. Se é verdadeira (e disso devemos ter certeza), não temos medo de expô-la perante o mundo, ainda que as descobertas científicas nos pareçam por vezes comprometedoras e algumas promessas, demoradas (aos nossos olhos) para cumprirem-se - IIPd.3.8-10. Como se expressou Stanley Jones: "Expomos nossa fé ao mundo para que provem que estamos errados. Porque, se isto lhes for possível, quanto mais cedo o fizerem, melhor será para nós". E ainda, se na verdade Deus não existe, as verdades que nos foram reveladas são enganosas e o que está na Bíblia não passa de mentira, então temos de admitir que a mentira é mais eficiente e poderosa que a verdade, porque tem transformado muitos corações. Mas, a nossa experiência e convicção é de um Deus pessoal, amoroso, misericordioso que, sobre tudo, nos redime através do seu filho, o Senhor Jesus. A nossa experiência é a do salmista que diz: "Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também; se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares, ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá..."(Sl.139.7-10). Aleluia! Louvado, por todo o sempre, seja o nosso Deus e Pai...!!!

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

ISAQUE NEWTON


1. Possuia 30 Bíblias e as estudava diariamente;
2. Estudava, desesperadamente: matemática, física,alquimia e teologia;
3. Admitiu ser um  "filho de Deus", para quem os segredos do mundo seriam revelados, daí o seu nome "Isaque", lembrando o filho da promessa dado a Abraão;
4. Considerava a Igreja Católica e a Ortodoxa como formas de prostituição do cristianismo verdadeiro;
5. Sempre teve dificuldade em aceitar a doutrina da trindade; mas escreveu uma obra teológica e nela expôs,com muita erudição, as profecias de Daniel e do Apocalipse;
6. A ele muito se deve sobre as teorias da luz e da cor, as leis da óptica, as leis da gravitação universal, cálculos matemáticos e o aperfeiçoamento do telescópio.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

AS CARÊNCIAS QUE SE AFLORAM





Nos anos que findaram a década de 90, tivemos a morte do piloto de fórmula um, Airton Sena; depois, o trágico acidente que vitimou os componentes do conjunto "Mamonas"; mais adiante, a morte do cantor João Paulo (da dupla João Paulo e Daniel)e, por fim, a morte do Leandro, também cantor, irmão e companheiro do Leonardo.
O nosso país atravessava momentos de grande crise e, os ídolos que apareciam, no cenário do esporte ou da música, passavam a dar-nos as alegrias que faltavam. Cada sucesso alcansado, por esses irmãos brasileiros, trazíamos para as nossas vidas, fazendo deles o nosso sucesso.
Lembro-me que, quando a multidão despedia-se do cantor Leandro, muitos choravam desesperadamente. Uma jovem, convulsionada, em prantos, disse ao repórter: "Por que Deus fez isso conosco? Não podemos viver sem ele".
Analisando reações como estas, chegamos a uma conclusão importantíssima: as nossas carências emocionais se manifestam como vulcões, em momentos como estes! São as lacunas incontidas que advém dos subterrâneos do nosso ser e, abruptamente, demonstram as nossas fragilidades.
Por que a música romântica, particularmente, conquista hoje tantos corações? Porque elas falam das nossas carências, do amor, das paixões, da saudade e até das nossas frustrações. Falam de sentimentos, de relacionamentos, pondo na nossa boca palavras que, normalmente, não conseguimos proferir. Por isso elas nos cativam tanto. Contudo, elas não têm o poder de nos transformar em fontes continuamente doadoras desse suprimento que tanto bem faz às pessoas - Jo.7.37-38.
As músicas, o esporte, os amigos, as fortes emocões são coisas que nos fazem muito bem; mas, quem bebe apenas dessas águas tornará a ter sede. Precisamos de uma fonte que, não somente nos mate sede, mas nos faça fontes também canalizando a mesma água para outros corações - Jo.4.13-14. Evidentemente, só o Senhor tem dessa água!!!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

TEOLOGIA DE ZOFAR:


"Se dispuseres o coração e estenderes as mãos para Deus; se lançares para longe a iniquidade da tua mão e não permitires habitar na tua tenda a injustiça, então, levantarás o rosto sem mácula, estarás seguro e não temerás. Pois te esquecerás dos teus sofrimentos e deles só terás lembrança como de águas passadas. A tua vida será mais iluminada que o meio-dia; ainda que haja trevas, serão pouco intensas como de manhã. Sentir-te-ás seguro, porque haverá esperança; e muitos procurarão obter o teu favor." - Jó 11.13-19.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

PEPITAS DE OURO


AMOR:
O amor poderá ser medido pela capacidade do sacrifício a favor de quem se ama. O sacrifício demonstra a intensidade e densidade do amor - Ico. 13.4-7.

PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO:
Uma pessoa está cheia do Espírito Santo quando a totalidade de sua vida está sendo ativada por essa realidade divina e todo o seu ser canalizado para a glória de Deus.

INSUBMISSÃO COMPROMETEDORA:
Os seres vivos existentes no mundo são, catalogados até agora, aproximadamente 1.350.000, dos quais apenas o homem não se submete inteiramente ao seu Criador, comprometendo assim a ordem de todas as coisas - Rm.8.19-23.

SAUDOSISMO INFRUTÍFERO:
"O passado é um grande quinhão, para quem não tem o presente e perdeu a esperança do futuro" (Machado de Assis - do romance Helena)

ODIAR O PECADO E AMAR O PECADOR:
O mais das vezes, os descrentes são vistos pelos crentes como inimigos e não como vítimas do inimigo. Mas, o correto é termos aversão pelo pecado e não pelo pecador.

IMPORTANTE É SER NOVA CRIATURA:
O convertido tem: novos hábitos, novos caminhos, novos companheiros, novos prazeres, novas emoções, novos pensamentos, novos planos, novas opiniões, novas tristezas, novas alegrias, novos rumos, novas preocupações, novas esperanças!...Tudo deverá ser novo até que se possa ver no NOVO CÉU E NOVA TERRA - Is.65.17

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

VIDA COM SIGNIFICADO

         
          Que seria da nossa vida neste mundo se não houvesse a possibilidade do amor? Não haveria razão para estarmos aqui. Nada mais justificaria a existência de um universo tão grande, das galáxias gigantescas, dos múltiplos sistemas solares, do brilho das estrelas, da dinâmica dos planetas e cometas, da infinitude do espaço sideral.
          Tudo que é belo, encantador, foi motivado pelo amor. Por essa razão, diz Langston em sua teologia sistemática: "Em santo amor Deus criou, governa e sustenta todas as coisas". Podemos também dizer que o amor tem como resultante, na vida humana, a família, o trabalho, as ciências, a poesia, a pintura, a música  e todas as suas mais nobres realizações.
          Em contra posição, onde há miséria, espírito amargurado, acabrunhamento, lar desmantelado, criança abandonada, igreja dividida, está, indubitavelmente, a falta do amor verdadeiro. O amor é, sem dúvida, a maior força construtiva neste universo! Portanto, se encontramos alguém que não se sinta amado e já não tenha mais motivação para amar, saibamos que, tal pessoa, não está distante do suicídio e precisa urgentemente de tratamento.
          Carlos Drumond de Andrade, importante escritor brasileiro, morreu no dia 18 de agosto de 1987. Com a partida de sua filha, treze dias antes de sua morte, chegou a dizer que não valia mais a pena viver. Foi internado e, quando a infermeira veio para atendê-lo, ele disse-lhe: "Prepare-me uma boa e infalível dose de enfarto". E, nessa pusilanimidade de espírito, logo veio a falecer.
          A verdade é que quando não encontramos valor algum em nossa própria vida, também não valorizamos a vida de ninguém. Há poucos dias, aqui em Maringá, alguém tirou a vida de um seu "amigo"(foi o que disse ao reporter) porque tal pessoa lhe devia R$ 35,00 e não lhe pagava!... Um jornal inglês, comentando a violência no Rio de Janeiro e, de modo geral no Brasil, afirmou: "A sociedade brasileira não tem se incomodado como deveria, em solucionar os problemas da violência, porque vidas no Brasil não valem o mesmo que em outros países"!!! É o amor que nos leva à valorização da nossa vida e do nosso semelhante.
          "O amor nunca está tão ocupado que não possa ajudar; nunca é tão pobre que não tenha o que dar,  nunca está tão comprometido que não tenha tempo de ser bom e caridoso". "É o amor que arranca do homem o animal, e nele modela o anjo que servirá para a glória de Deus". O amor é a carteira de identidade dos que se identificam com o Criador... Louvado seja o Senhor,porque tem derramado do seu amor em nossos corações!
        

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

VOTO EXPRESSÃO DE CIDADANIA


1. Não é negociado em hipótese alguma, voto não se compra não se vende.
2. Não visa o interesse particular do eleitor, como emprego, espectativa de benefício, influência a ser manipulada, ou pretensões de quem está votando; leva em conta o bem da nação, o progresso de todos os concidadãos.
3. Não é cabresteado por interdependência de quem quer que seja, ou comprometimentos que advenham de favores e benesses recebidas de qualquer natureza.
4. Não é o voto dado aos candidatos que certamente serão vitoriosos, deixando de lado os que não reunem condições para tanto, com a idéia comum, mas errônea, de que se isto fizesse estaria "perdendo seu voto".
5. Voto de quem conhece as necessidades mais prementes do país, como: saúde, segurança, educação, indústrialização, comércio e exportação, planejamento energético, agricultura e pecuária, distribuição de renda, circulação e transporte, moradia, preservação do meio-ambiente e dos valores morais imprescindíveis à felicidade e o futuro da nação.
6. Voto de quem procura, por todos os meios, conhecer os candidatos, seus planos, suas perspectivas de governo, comportamento já demonstrado (se já ocuparam cargos públicos), se tem ficha limpa, se governam bem a própria vida e seus negócios.
7. Manter em segredo seu voto e, posteriormente, fiscalizar e cobrar o bom desempenho dos políticos eleitos, sempre que possível.
CUIDADO! Com aqueles que estão agora, nestes dias que antecedem as eleições, fazendo grande festa para impressioná-lo, gastando vultosas somas. Será que são os mais patriotas, ou visam o grande retorno desse dinheiro e muito mais, na forma de subornos, propinas e superfaturamentos?! Alerta!...O Brasil não pode continuar desse modo, ou seja, enchafurdado na corrupção. Vamos dar um basta nisso.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

AS GRACIOSAS TESOURAS-DO-CAMPO


Estamos em plena primavera e as graciosas tesouras-do-campo já chegaram. São aves de arribação que chegam nesta região no meado de setembro e aqui ficam, criando seus filhotes, até o mês de março. Apenas dois exemplares pude observar até agora! Estão em perigo de extinção, o que representa dor no coração para quem ama a natureza. São aves belíssimas e enfeitam, no verão, a cenário meridional. Não deixe de ler nosso trabalho sobre esse pássaro, postado em 08 de outubro de 2009, com o tema: "As Tesouras-do-campo e a Ecologia". Boa leitura!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

CAPACIDADE DE RISCO


"É sempre melhor arriscar em coisas grandiosas, buscando vitórias e triunfos, mesmo expondo-se à derrota, do que formar fila com os pobres de espírito que não gozam nem sofrem muito, porque vivem sempre na penunbra cinzenta, mas não experimentam o sabor da vitória ou da derrota." (Roosevelt)

É HORA DE DECISÃO:
"O Brasil é, sem dúvida, o país campeão da desiqualdade econômica. Alguns têm em suas mãos bilhões e, em contra posição, muitos milhões apenas migalhas. Somente 5% detêm em seu poder 80% da riqueza do país. E, esse descalabro não está sendo revertido. As grandes empresas engolem as menores, as concorrentes, e se transformam em trustes com pleno domínio de mercado. Os bancos fazem o mesmo com seus possíveis concorrentes. Este nosso país tem se tornado um eldorado para banqueiros, multinacionais, grandes empresas, traficantes e políticos inescrupulosos. Não há poder governamental de controle rígido a esses absurdos.O difícil, por aqui, é ser apenas um trabalhador produtivo e honesto. Todavia, você pode agora, através do seu voto, estabelecer o início de um processo regenerativo à grande maioria da sociedade brasileira. Vote com sabedoria! Porquê, do contrário, poderá estar dando aval aos dominadores do poder econômico para que continuem se regozijando, fazendo a festa.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

GRANDES PERSONAGENS:

1. OCBA  foi o grande comandante das tropas árabes que dominaram o norte da África. Montado em seu cavalo, depois de haver conquistado toda aquela região, chegou ao estreito que, posteriormente, veio a se chamar Gibraltar, e fustigou o animal para atravessá-lo. O cavalo entrou na água até os joelhos, refugou e retornou. Ocba então voltou-se para os seus comandados e disse: "Para a conquista do continente do outro lado (a Europa), não me falta coragem; falta apenas terra debaixo das patas do meu cavalo." É essa intrepidez que tem faltado ao cristianismo, mormente nos nossos dias.

2. CAIO JÚLIO CÉSAR foi o grande general fundador do império romano. Foi ele que, a frente do invencível exército romano, expandiu o domínio de Roma ao redor do Mediterrâneo. Quando desembarcou com suas tropas na África, tropeçou e caiu o que para os romanos, superticiosos, significava sua derrota. Nessa ocasião, porém, fingindo que o incidente era intencional (como se estivesse abraçando o continente) disse: "Agarro-te África." Será que temos esse ardor expandindo o Reino de Deus?

3. BOABDIL foi o último rei dos mouros a ser vencido na Espanha, no pequeno reduto de Granada, uma bela cidade! O califa Boabdil, ao se retirar da cidade, foi para a montanha próxima de onde se podia ver a beleza que deixava para trás e as lágrimas rolaram por sua face. Disse-lhe, então, sua mãe: "Choras, meu filho, como mulher o que não soubeste conservar como homem." Ainda hoje, como lembrança desse episôdio, o cume da montanha conserva o nome poético: El Último Sospiro del Moro. Quais são os valores da nossa vida pelos quais lutamos até o final?

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

ALBERT SCHWEITZER POR RUBEM ALVES

É um homem grande, 1.90 de altura; obviamente, um homem forte. Seus cabelos castanhos já estão grisalhos. E tem um grande bigode. Seus olhos profundos são azuis e bondosos. E o seu piscar revela humor. Um veadinho se esfrega nele pedindo carinho e sua mão grande deixa a caneta sobre a mesa e delicadamente agrada o bichinho. Lá fora, os crocodilos algumas vezes dormem com suas enormes mandíbulas abertas. E há os hipopótamos, os pelicanos, a vegetação impenetrável que se reflete nas águas barrentas do rio.
A aparência é de um homem sólidamente plantado nesse mundo. Mas não é verdade. Seu coração e sua cabeça se movem de acordo com uma lógica estranha de um outro mundo que só ele vê.
Nasceu em 1875, numa aldeia da Alsácia, filho de um pastor protestante. Desde muito cedo ficou claro que ele era diferente. Sua sensibilidade para a música chegava à dor. Ele mesmo conta que, à primeira vez que ouviu duas vozes cantando em dueto - ele era muito pequeno ainda - ele teve de se encostar na parede para não cair. Outra vez, ouvindo pela primeira vez um conjunto de metais ele quase desmaiou por execesso de prazer. Com cinco anos começou a tocar piano. Mas logo se apaixonou pelo órgão de tubos da igreja na qual o seu pai era pastor. Aos nove anos já era o organista oficial da igreja, e tocava para os serviços religiosos.
Sentimento amoroso idêntico lhe provocavam os animais. Ele relata que, mesmo antes de ir para a escola, lhe era incompreensível o fato de que as orações da noite que sua mãe orava com ele apenas os seres humanos fossem mencionados. \'Assim, quando minha mãe terminava as orações e me beijava, eu orava silenciosa-mente uma oração que compus para todas as criaturas vivas\' : Oh, Pai, celeste, protege e abeçoa todas as coisas que vivem; guarda-as do mal e faz com que elas repousem em paz.\'
Ele conta de um incidente acontecido quando ele tinha sete ou oito anos de idade. Um amigo mais velho ensinou-o a fazer estilingues. Por pura brincadeira. Mas chegou um momento terrível. O amigo convidou-a a ir para o bosque matar alguns pássaros. Pequeno, sem jeito de dizer não, ele foi. Chegaram a uma árvore ainda sem folhas onde pássaros estavam cantando. Então o amigo parou, pôs uma pedra no estilingue e se preparou para o tiro. Aterrorizado ele não tinha coragem de fazer nada. Mas nesse momento os sinos da igreja começaram a tocar, ele se encheu de coragem e espantou os pássaros.
Seu amor pelas coisas vivas não era apenas amor pelos animais. Ele sabia que por vezes era preciso que coisas vivas fossem mortas para que outros vivessem. Por exemplo, para que as vacas vivessem os fazendeiros tinham de cortar a relva florida com ceifadeiras. Mas ele sofria vendo que, tendo terminado o trabalho de cortar a relva, ao voltar para a casa, as suas ceifadeiras fossem esmagando flores, sem necessidade. Também as flores têm o direito de viver.
Também não podia contemplar o sofrimento dos animais em cativeiro. \' \'Detesto exibições de animais amestrados. ´Por quanto sofrimento aquelas pobres criaturas têm de passar a fim de dar uns poucos momentos de prazer a homens vazios de qualquer pensamento ou sentimento por eles.\'
O nome desse jovem era Albert Schweitzer. Doutorou-se em música, tornou-se o maior intérprete de Bach da Europa, dando concertos continuamente. Doutorou-se em teologia e escreveu um dos mais importantes livros de teologia desse século. Doutorou-se também em filosofia, e era professor na universidade de Estrasburgo, sendo também pastor e pregador.
Schweitzer tinha tudo aquilo que uma pessoa normal pode desejar. Ele era reconhecido por todos. Mas havia uma frase de Jesus que o seguia sempre: \'A quem muito se lhe deu, muito se lhe pedirá.\' E, aos vinte anos, ele fez um trato com Deus. Até os trinta anos ele iria fazer tudo aquilo que lhe dava prazer: daria concertos, falaria sobre literatura, sobre teologia, sobre filosofia. Ao trinta anos ele iniciaria um novo caminho. E foi o que ele fez. Aos trinta anos entrou para a escola de medicina, doutorou-se em medicina, e mudou-se para a África, para tratar de uns pobres homens atacados pelas doenças e abandonados. E lá passou o resto de sua vida.
É preciso entender que Schweitzer não era só um médico curando doentes. Ele não se conformaria com isso. Dentro dele viviam a música, a filosofia, o misticismo, a ética. Schweitzer sabia que somente o pensamento muda as pessoas. E o que ele mais desejava era descobrir o princípio que vivia encarnado nele. E ele conta que foi numa noite - ele e remadores navegavam pelo rio para chegar a uma outra aldeia - seu pensamento não parava - e ele se perguntava - \'qual é o princípio ético?. De repente, como um relâmpago, apareceu na sua cabeça a expressão: reverência pela vida. Tudo o que é vivo deseja viver. Tudo o que é vivo tem o direito de viver. Nenhum sofrimento pode ser imposto sobre as coisas vivas, para satisfazer o desejo dos homens.
Há algo estranho na psicologia de Schweitz\\er. Um dos maiores desejos da alma humana - de todos - é o desejo de reconhecimento. Na Europa Schweitzer era admirado universalmente: organista, filósofo, teólogo, escritor. Aos vinte e poucos anos seu nome já era símbolo. Aí toma uma decisão que o levaria para longe de todos os olhos que o admiravam: a absoluta solidão de uma aldeia miserável. Hoje uma decisão como a dele seria imediatamente notada: os jornais e a televisão logo fariam brilhar a sua imagem de Cavaleiro Solitário - e ele apareceria como heroi. Seria grande, imensamente grande na sua renúncia! Também as renúncias podem ser motivo de vaidade! ( A esse respeito relembro a última cena do filme O Advogado do Diabo. Merece ser visto de novo. )Mas ele opta pela invisibilidade, a solidão, longe de todos os olhos e de todos os aplausos.. Isso só tem uma explicação: ele era, antes de tudo, um místico. O que lhe importava não era a brilho narcísico mas a consciência de ser verdadeiro com o princípio de "reverência pela vida", o seu mais alto princípio religioso.
Esse princípio, Schweitzer viveu intensamente. Não é difícil ter reverência pelas coisas fracas, a relva, os insetos, os animais. Fracos, eles não têm o poder de nos resistir. Difícil é ter reverência pelos homens fortes, que se encontram ao nosso lado. Jesus ordenou \'amar o próximo\'. Porque é fácil amar o distante. O próximo é aquele que está no meu caminho, que tem o poder de me dizer não. Mais difícil que amar os doentes, que são carência pura, fraqueza pura, dependência pura, mendicância pura, é amar aqueles que estão ao meu lado e que são tão fotrtes quanto eu. Reverência pelos que estão ao meu lado. Se Schweitzer se relacionou com os pobres negros doentes por meio da compaixão, ele se relacionou seus próximos, iguais, companheiros de hospital por meio de amizade. E ele formula, na sua Ética, o princípio de que \'um homem nunca pode ser sacrificado para um fim.
Schweitzer não era um ser desse mundo. Talvez ele tenha compreendido isso e que essa tenha sido uma das razões porque ele saiu do mundo civilizado, se embrenhando nas selvas da África. No mundo civilizado, das organizações, será possível ter reverência pelo próximo? Na lógica das organizações não há \'próximos\' nem amigas. A lógica das organizações diz: cada funcionário é apenas um meio para o fim da organização, não importa quão grandioso ele seja! Nas organizações os sinos das igrejas não tocam para impedir que o pássaro seja morto.

POEMETOS SELECIONADOS:

"Nunca maldigas teu fado,
 confia em Deus firmemente.
 O arvoredo mais copado,
 já foi humilde semente."
          (Lilinha Fernandes)

"Depois de procelosa tempestade,
 noturna sombra e sibilante vento,
 vem a manhã serena e bonançosa,
 esperança de porto e salvamento."
          (Camões)

"Descansem o meu leito solitário,
 na floresta dos homens, esquecida,
 à sombra de uma cruz e escrevam nela,
 foi poeta, sonhou e amou na vida."
          (Fagundes Varella - antevendo sua
            morte)

"A sua cátedra foi humilde, foi tosca, foi um monte...
 de onde proferiu excelso e divinal sermão;
 pois tinha ante os olhos famintos os discípulos
 e, até ao longe, divisava a sedenta multidão..."
          (N/poema, "Semão do Monte" - Mt.5.1-2)

"Quanta dor achou guarida em meu peito!
 Eu perdi a compostura ao andar,
 amarguras dissipei no meu olhar
 e molhei de quentes lágrimas meu leito."
          (N/soneto, "Uma tempestade em minha vida")
         

sábado, 18 de setembro de 2010

MARAVILHAS DE DEUS NO CORAÇÃO HUMANO

Quando células do coração são retiradas do órgão e conservadas em certas condições, elas continuam a fazer os movimentos de retração e distensão, correspondentes sístole e diástole normalmente. Se duas células são colocadas a certa distância uma da outra, elas perdem o ritmo, isto é, dessincronizam-se. Se novamente colocadas próximas, voltam à sincronia anterior. Não é estupendo isso?!!!

CHUVA SERÓDIA

Quando o Espírito Santo penetra o coração humano é como chuva seródia caindo em terreno seco, por muito tempo esturricado. Nesse momento, o homem é "DES+EGOIS+TIFICADO", ou seja, desconectado do pecado (incredulidade) e, uma verdadeira explosão benfazeja ocorre na mente, na consciência, nas estruturas personalizantes do seu ser. O ser humano é levado a se desfazer de si mesmo, do seu EU egoísta, com a possibilidade agora de se reestruturar e utilizar (para a glória de Deus), todo o  potencial que lhe foi dado pelo planejamento do Senhor - Sl.139.1-16, Pv.4.18.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

TEMPERANÇA

         Infelizmente, temperança é uma daquelas palavras que mudaram de sentido. Mas, nos tempos em que a temperança (ou autocontrole) foi nomeada a SEGUNDA das virtudes principais, ela não significava isso. A temperança não se referia em especial à bebida, mas a todos os prazeres; e ela não significava abstinência, mas a capacidade de não passar dos limites. É um equívoco achar que todos os cristãos devem ser abstêmios; a religião da abstinência é o islamismo, não o cristianismo. É claro que até pode ser dever de um cristão, em um momento específico (Rm.14.13-23), abster-se de uma bebida ou comida, por amor, em favor de um irmão ou pessoa propensa ao alcoolismo, visto que não deve estimulá-las pelo seu exemplo. Mas a idéia é que ele se abstem, por uma boa razão, por um resultado superior ao prazer que teria degustando tal alimento ou bebida. Uma das marcas da pessoa de má índole é que ela não consegue abrir não de algo que lhe domina, não levando em conta as consequências dos seus atos na vida inclusive de outras pessoas.
          A restrição da palavra temperança ao que se refere à bebida foi um dos grandes equívocos da modernidade. Ela leva as pessoas a esquecerem que podem ser tão intemperantes com relação a muitas outras coisas, quanto no caso da bebida. Um homem que faz do futebol, da pescaria, do trabalho, do estudo,  dos amigos, do carro, do cachorro, motivos para a centralização dos seus pensamentos e ocupaçoes, está sendo tão intemperante como quem se embebeda todas as noites. É claro que isso não pode ser facilmente observado de fora; a futebolmania não faz ninguém ficar caido no meio da rua. Contudo, Deus não se deixa enganar pelas aparências...!!!
          ("Cristianismo Puro e Simples" - C.S.Lewis)

"O FRACO TENDE A EVITAR AS COISAS QUE NÃO LHE CONVÉM; O FORTE TEM DOMÍNIO SOBRE ELAS."
"O NOSSO DEUS SERÁ SEMPRE AQUILO OU AQUELE QUE MAIS AMAMOS E, A NOSSA VIDA, A MANIFESTAÇÃO DESSE MESMO DEUS."

terça-feira, 14 de setembro de 2010

LIBERTAÇÃO DA ESCRAVATURA

A lei áurea, que libertava os escravos no Brasil, foi sancioada pela princesa Isabel (quando exercia a regência do Império), no dia 13 de maio de 1888. No momento em que a princesa assinou o documento, pétalas de rosa foram jogadas sobre ela, acompanhadas dos efusivos aplausos da multidão. O embaixador americano, presente à essa cerimônia, falou em nome de sua pátria e disse que o Brasil lhe causava grande admiração, porque conseguia com flores, o que o seu país somente conquistara com sangue!

COLETÂNEA DOS ANOS


1. "A beleza é a sombra de Deus sobre o universo."  (Alexandre Dumas)

2. "Não é podando o pé de limão que ele passa a dar laranja."

3. "Não é a erva daninha que sufoca a plantação; é, sim, muitas vezes, a preguiça do cultivador". (Confúcio)

4. "Por mais riquezas que possamos ter, não conseguimos dormir em mais de uma cama e comer mais que três refeições por dia."

5. "É preferível merecer e não ter do que ter sem merecer."

6. "Maravilhas nunca faltam no mundo. O que falta, muitas vezes, é a capacidade para sentí-las e admirá-las." (J.Paul Schmitt)

7. "A palavra de Deus ressoa constantemente pelo mundo inteiro. Só não ouve sua voz quem está espiritualmente surdo."

8. "A liberdade que nos é dada consiste em fazer o que se deve e não o que se quer."

9. "Em casa que não tem pão, todos reclamam e ninguém tem razão."

10."O homem verdadeiramente sábio não precisa possuir um palmo de terra para ser feliz; o universo todo é dele."  (provérbio romano)

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

A IMPORTÂNCIA DA FÉ


"A fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos. Pois foi por meio dela que os antigos receberam bom testemunho. Pela fé entendemos que o universo foi formado pela palavra de Deus, de modo que aquilo que se vê não foi feito do que é visível" - Hb.11.1-3.

"Sem fé não há possibilidade de vida. Dentro do homem está o microcosmo, o mundo das necessidades; fora do homem, o universo, o macrocosmo, o mundo que fornece os suprimentos das suas necessidades. O canal de ligação entre o mundo das necessidades e o mundo dos suprimentos dessas necessidades é a fé. Mas, a fé em Deus nos leva aos suprimentos espirituais, sem os quais não haverá, em nós, VIDA ESPIRITUAL"!!!

LEIA A BÍBLIA! A mensagem bíblica não é antiga nem moderna; ....é eterna!

CRER E PENSAR


1. Toda expressão do pensamento é imperfeita e todas as revelações de Deus, até agora (mesmo que suficientes para nossa salvação), são incompletas - ICo.13.9-10.

2. Se nós apenas cremos naquilo que enxergamos com os olhos da cara, muito pouco temos em que podemos crer de fato. A realidade de todas as coisas é invisível; portanto, muito mais realidade existe por detrás aquilo que vemos com os nossos olhos - Lc.17.20-21, Jo.20.26.

3. O Deus verdadeiro, Criador, é Espírito puro que não se localiza; é unipresente, ubíquo que, por isso mesmo, não depende de movimento para se fazer presente em qualquer lugar, em que sua presença se faz necessária em operosidade. Puro e simplesmente,  ele replena com sua presença o universo todo e, em todos os lugares ele é o mesmo em plenitude - IICr.2.6, Sl.139.1-12, Jr.23.23-24, Jo.4.23-24.

4. As manifestações visíveis de Deus, registradas na Bíblia, foram feitas por meio de figuras representativas ou em liguagem humana, como se Deus fosse semelhante ao homem (o inverso é que é verdadeiro), atribuindo ao Senhor formas humanas (antropomorfismo), ou sentimentos de homem (antropopatismo). A Bíblia é peremptória em afirmar que "Deus não é homem" (Nm.23.19). Todavia, o Deus invisível se tornou visível através do Filho, quando este se fez carne e habitou entre nós - Cl.1.15.